Controlando a adrenalina no paraquedismo

“Adrenalina no paraquedismo? Sempre vale a pena manter a calma!”

Isso √© verdade se voc√™ est√° ouvindo seu chefe dar um feedback ruim sobre um projeto em que voc√™ se entregou para concluir, se voc√™ acabou de ficar preso no tr√Ęnsito ou quando sua internet est√° lenta. A li√ß√£o √© clara. Mantendo a calma e manter o ju√≠zo em tempos de estresse √© a melhor estrat√©gia.

Mas quando se trata de paraquedismo, manter a calma nem sempre √© t√£o f√°cil. Contudo, isso √© uma ‚Äúverdade verdadeira‚ÄĚ porque estamos voando nossos corpos h√° milhares de p√©s acima do ch√£o sem nada entre n√≥s e a terra firme, em uma quest√£o de segundos. Como voc√™ lida com o estresse envolvido durante seus primeiros saltos, ou efetivamente executa o procedimento de emerg√™ncia para lidar com uma pane pode significar literalmente a vida ou a morte para um paraquedista. √Č importante que todos os paraquedistas, desde iniciantes at√© os mais experientes, tenham a capacidade de permanecer calmo, agir de forma correta e inteligente, e n√£o ficar p√Ęnico quando chegar a hora de lidar com a resposta ao estresse.

QUAL √Č A RESPOSTA PARA O ESTRESSE?

A resposta ao estresse, comumente chamada de ‚Äúrea√ß√£o de luta ou fuga‚ÄĚ, √© um instinto fisiol√≥gico animal para a autopreserva√ß√£o. A resposta de lutar ou fugir foi descrita pela primeira vez por Walter B. Cannon, um fisiologista de Harvard como o “resposta interna e adaptativa do corpo a uma amea√ßa. ‚ÄĚ

Nesta resposta, o corpo libera catecolaminas, ‚Äúhorm√īnios de estresse‚ÄĚ que imediatamente despertam os √≥rg√£os-chaves, preparando uma pessoa ou animal sob amea√ßa para se defender (luta) ou correr para escapar (fuga). O mais conhecido desses horm√īnios √© a epinefrina, mais conhecida como adrenalina, que √© produzida pelas gl√Ęndulas adrenais, localizadas no topo de cada rim. Esses horm√īnios produzem uma s√©rie de efeitos fisiol√≥gicos que foram essenciais para a sobreviv√™ncia de nossos ancestrais que viveram em uma √©poca quando os humanos se deparavam rotineiramente com amea√ßas f√≠sicas, como animais selvagens, que causavam amea√ßas imediatas √† vida que poderiam ser encaradas lutando ou fugindo. Algumas dessas mudan√ßas no corpo s√£o muito √ļteis – at√© certo ponto. Al√©m desse limite, torna-se contraproducente, at√© mesmo destrutivo.

Como o corpo reage a adrenalina no paraquedismo ou qualquer situação de estresse

As tens√Ķes que enfrentamos na vida moderna s√£o muito mais prov√°veis ‚Äč‚Äčde serem tens√Ķes psicol√≥gicas. Mas em algumas circunst√Ęncias, colocamos em n√≥s mesmos, como o paraquedismo, a amea√ßa f√≠sica pode ser real, mas lutar ou fugir n√£o resolve o problema. Na verdade, o problema pode ser agravado pela resposta ao estresse quando a melhor estrat√©gia seria manter a calma e lidar com a situa√ß√£o de maneira f√°cil e ordeira.

O estresse e a ansiedade exagerados s√£o o p√Ęnico. O p√Ęnico √© um estado em que uma pessoa substitui o pensamento racional por irracional e a√ß√Ķes potencialmente perigosas ou autodestrutivas. Como algu√©m que est√° com as roupas pegando fogo e continua correndo em vez parar, deitar e rolar, o p√Ęnico pode levar ao desastre. Dores de cabe√ßa, dor abdominal, palpita√ß√Ķes, n√°useas, v√īmitos, diarreia, ‚Äúalfinetadas‚ÄĚ e ‚Äúagulhadas‚ÄĚ nas extremidades, movimentos descontrolados e uma sensa√ß√£o geral de destrui√ß√£o iminente s√£o todos sintomas de um grave ataque de ansiedade e p√Ęnico. O p√Ęnico √© considerado um contribuidor significativo para acidentes no paraquedismo.

O ALUNO ESTRESSADO

Para a maioria dos alunos, √© comum ter alguns sentimentos de nervosismo, medo, antecipa√ß√£o e ansiedade. Essas rea√ß√Ķes fisiologicas s√£o totalmente naturais ao se jogar de um avi√£o estando h√° 12.000 p√©s de altura. Essas rea√ß√Ķes demonstram a nossa capacidade de superar a resposta primitiva de nosso corpo nos dando uma sensa√ß√£o de realiza√ß√£o e ser capaz de desafiar e superar a natureza. De certa forma, estamos enganando a morte cada vez que saltamos de um avi√£o.

Os alunos s√£o muito propensos a serem afetados por uma forte resposta de estresse e entrar em p√Ęnico. Muitas pessoas que se aventuram no paraquedismo nunca experimentaram sentimentos t√£o fortes de ansiedade antes. Para estas pessoas, esta √© a coisa mais assustadora e potencialmente mais perigosa que eles j√° fizeram em suas vidas. Eles podem experimentar o medo extremo e a incapacidade de controlar seus corpos. Alguns alunos relataram pernas tr√™mulas, incapacidade de controlar seu corpo, cora√ß√£o batendo forte, m√£os ou p√©s suando ou formigando, alguns podem at√© desmaiar. Um aluno relata, ‚Äúquando est√°vamos chegando perto da altitude de sa√≠da, meu corpo come√ßava a tremer fisicamente, eu n√£o conseguia me acalmar. Me senti como um total fracassado. ‚ÄĚ Nesse caso, saltar do avi√£o √© provavelmente a √ļltima coisa que ele deveria fazer.

A adrenalina afeta mais os alunos no paraquedismo.

√Č importante que os instrutores de paraquedismo, que s√£o mais propensos a manter a calma, manter o controle sobre os n√≠veis de ansiedade de seus alunos. Sinais para notar que um aluno est√° passando por grave ansiedade incluem respira√ß√£o r√°pida e superficial, respostas atrasadas ou inadequadas, suor excessivo e nervosismo. Devemos observar que quase todos os novos paraquedistas iram experimentar alguns desses sintomas. √Č uma resposta natural devida √† atividade.

O problema surge se a resposta fisiol√≥gica do aluno √© t√£o forte que ir√° impedir suas habilidades de executar a tarefa e ser capaz de fazer julgamentos cr√≠ticos em queda livre e durante a navega√ß√£o do velame. √Č uma quest√£o de magnitude. Cada indiv√≠duo responde a situa√ß√Ķes estressantes de maneiras diferentes, alguns podem ficar um pouco nervosos e perceber seu aumento da frequ√™ncia card√≠aca, enquanto outros podem se encontrar hiperventilados e preparados na porta. √Äs vezes assim, os instrutores precisam passar ao aluno que √© comum para novos paraquedistas terem alguns desses sintomas e sentimentos, e apoiar a decis√£o de adiar o salto e focar em estrat√©gias para reduzir a ansiedade (fornecidas abaixo).

√Ä medida que ganhamos mais experi√™ncia no paraquedismo, aprendemos a nos manter relaxados e n√£o ter pressa na antecipa√ß√£o do salto. Mas quando algo d√° errado no c√©u durante a viagem de avi√£o, durante a queda livre ou com o velame aberto, mesmo paraquedistas altamente experientes podem ser colocados em uma situa√ß√£o que faz com que experimentem o mesmo tipo de estresse e p√Ęnico como um aluno em um primeiro salto.

COMO PREVENIR QUE A ADRENALINA AFETE SEU DESEMPENHO

Como qualquer paraquedista experiente sabe, quanto mais voc√™ √© capaz de relaxar em queda livre mais controle sobre o corpo voc√™ ter√°. Tens√£o e rigidez faz com que os alunos n√£o sejam capazes de relaxar seus corpos e alcan√ßar a posi√ß√£o selada est√°vel. Quando eles n√£o conseguem ficar est√°veis eles ficam mais ansiosos, mais travados etc. – √© um ciclo vicioso. Existem v√°rias estrat√©gias que podem ser seguidas para minimizar os efeitos negativos do estresse, que podem levar ao p√Ęnico.

Se você é um aluno nervoso, subindo para fazer um salto, comece concentrando-se em uma coisa.

Respire: A respiração deve ser profunda e lenta. Quando você for capaz de controlar sua respiração, você será capaz de obter controle de sua ansiedade.

Sorria: Sorrir libera subst√Ęncias qu√≠micas no c√©rebro que nos fazem se sentir melhor e mais calmos.

Observe: Veja vários saltos incríveis dias, horas e imediatamente antes do seu salto. Imagine-se passar com segurança por cada fase do salto, de embarcar no avião até sentir seu corpo no ar, de uma navegação perfeita até pousar exatamente no alvo. Olhe você mesmo sorrindo e veja como é bom.

Confie: Tenha confiança que você treinou exaustivamente para isso, você sabe o que está fazendo. Você está tão preparado quanto pode estar. Entretanto, se você não sente isso, então não salte antes de passar por mais treinamento e tiver todas as perguntas respondidas e técnicas treinadas. Você precisa conhecer seu nível instintivo e ter confiança que terá um desempenho exatamente como você treinou, não importa a situação que você se encontre. Para algumas pessoas, isso pode envolver mais treinamento e revisão do que outras. Não se sinta obrigado a seguir a progressão dos outros se não for o certo para você.

Controlar a adrenalina no paraquedismo é essencial.

E finalmente, perceba que o paraquedismo é para se divertir. Se a ansiedade se tornou tão forte que você não é capaz de aproveitar o esporte, talvez seja hora de reconsiderar o motivo pelo qual você está fazendo isso. E as vezes simplesmente não é sua hora de saltar Рe está tudo bem. Desça do avião. Ninguém jamais vai te ridicularizar por fazer um julgamento inteligente.

TREINO E MAIS TREINO

Todos os paraquedistas devem treinar continuamente cen√°rios de panes em suas mentes. Observar e lidar perfeitamente com qualquer dificuldade que possa surgir, mantendo a calma e controle da situa√ß√£o. Quando treinamos as coisas mentalmente repetidamente, isso faz o c√©rebro agir como se realmente tiv√©ssemos naquela situa√ß√£o. √Č importante treinar mentalmente cada cen√°rio poss√≠vel que voc√™ possa imaginar e fazer isso com frequ√™ncia.

Para aqueles indiv√≠duos que tentaram as dicas acima e ainda est√£o experimentando as sensa√ß√Ķes de estresse hiperativo e p√Ęnico, existem estrat√©gias de tratamento. Esses indiv√≠duos podem se beneficiar da terapia de biofeedback, que envolve fisiologia e monitoramento durante provoca√ß√Ķes simuladas. Imaginando ou assistindo v√≠deos dos eventos que causam a rea√ß√£o de luta ou fuga. Durante essas sess√Ķes voc√™ aprende a ser insens√≠vel ao provocador, bem como a controlar e gerenciar os sintomas para que eles n√£o controlem voc√™.

ESTEJA PREPARADO

No paraquedismo, como em muitos aspectos da vida, estar preparado √© essencial. Em conceito, o que temos que fazer √© bastante simples. Mas como algu√©m disse uma vez, no paraquedismo n√£o √© o que voc√™ precisa fazer, e sim quando voc√™ tem que fazer. Devemos continuar treinando mentalmente e fisicamente todos os cen√°rios poss√≠veis e esperar o inesperado para que, quando ocorrer, possamos ficar calmos, agir de forma deliberada e inteligente e n√£o deixar o p√Ęnico nos vencer. Se mantivermos a calma em momentos dif√≠ceis, viveremos para contar algumas √≥timas hist√≥rias e continuar curtindo um dos mais emocionantes esportes da terra (e acima dela).

Espero que esse artigo te ajude a se sentir melhor e curtir mais os seus saltos, e caso saiba de alguém que passe por isso, envie esse artigo para essa pessoa. Blue Skies!


REFERÊNCIAS:

Gostou do artigo? Compartilhe!

Deixe o seu coment√°rio!

Se inscrever
Notificação de
guest
1 Coment√°rio
Mais antigos
Mais recentes Mais curtidos
Inline Feedbacks
Ver todos os coment√°rios

[…] O estresse tamb√©m pode ter um impacto em cada etapa do processo de tomada de decis√£o (Moschis, 2007). Janis e Mann (1977) concluem que o estresse percebido no processo de tomada de decis√£o √© uma das principais causas de m√°s decis√Ķes e erros. E isso √© compreens√≠vel, se n√£o sabemos ou entendemos o que est√° acontecendo o c√©rebro nos coloca na posi√ß√£o fuga ‚Äď tema que j√° abordamos neste outro artigo. […]

SOBRE O AUTOR

Diego Rodrigues

Fundador e administrador da SkyPoint Paraquedismo

REDES SOCIAIS

CATEGORIAS

ARTIGOS RECENTES

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site.