RSL e MARD: O que são e suas diferenças

Você sabe o que é RSL ou o que é MARD? Sabe a diferença entre eles? Bom, provavelmente RSL você já tenha ouvido falar até porque é um item obrigatório no início de todo paraquedista, já o MARD possa ser que nunca tenha ouvido falar, mas já adianto que ele faz parte do RSL.

Para começar vamos explicar o significado dessas siglas, RSL vem de Reserve Static Line e MARD é a sigla para Main-Assisted Reserve Deployment.

Neste artigo vamos mostrar tudo sobre estes dois sistemas passando pelas definições, diferenças, funcionamento, prós e contras e por fim deixar uma avaliação se vale a pena ou não usar esses itens.

INTRODUÇÃO AO RSL E AO MARD

Vamos começar mostrando o que são cada sistema em detalhes.

RSL – Reserve Static Line

O RSL, ocasionalmente chamada de Stevens, é um dispositivo que libera automaticamente o paraquedas reserva quando o paraquedas principal é desconectado.

Consiste em uma espécie de fita que conecta um ou ambos os tirantes do velame principal ao pino de liberação do velame reserva. Ele é projetado para usar a força mecânica dos tirantes do velame principal liberado após uma pane para puxar o pino do velame reserva.

O RSL se conecta aos tirantes por meio de uma pequena argola próxima ao sistema três argolas e pode ser desativado ao puxar uma pequena aba de tecido.

RSL ativado

O uso do RSL garante que o velame reserva será liberado ao desconectar o principal mesmo se o paraquedista não puxar o punho do reserva, oferecendo uma proteção no caso de o paraquedista desconectar, mas não conseguir alcançar o punho do reserva.

No entanto, os procedimentos de emergência adequados exigem que o punho do reserva seja puxado mesmo com o RSL, isto para garantir a abertura do reserva caso o RSL esteja desativado ou não esteja funcionando corretamente.

O RSL pode ser desativado por um paraquedista em situações em que seja necessário desconectar o velame principal sem liberar o reserva. Exemplos de tais situações podem incluir certos pousos com vento forte (caso o principal deva ser desconectado se o paraquedista estiver sendo arrastado), ao realizar formações de velame ou ao pousar sobre a água.

E um erro que muitos cometem, principalmente os alunos, o RSL NÃO acelera a abertura do velame reserva, se seu reserva leva 4 segundos para abrir sem o RSL, com o RSL ele vai continuar levando os mesmos 4 segundos.

MARD – Main-Assisted Reserve Deployment

É um tipo de RSL que utiliza o velame principal desconectado para auxiliar na extração do velame reserva.

Para ter uma noção simples de como isso funciona, imagine o comando do velame principal padrão: você lança o punho do velame principal para extrair seu pilotinho da BOC, seu pilotinho infla e, em seguida, puxa o pino de fechamento e extrai a bolsa com o principal de seu container.

Do ponto de vista da física, se seu pilotinho fosse maior, ele criaria uma resistência maior e, portanto, extrairia a bolsa com o velame principal mais rapidamente. Sendo exatamente isso a principal função do MARD, acelerar a abertura do reserva, diferente do RSL padrão, o MARD SIM acelera a abertura do velame reserva.

MARD ativado

O sistema MARD é uma evolução do RSL, então ele utiliza a mesma fita do RSL que ao invés de estar conectada apenas no pino do reserva também fica conectada a bridle do reserva, então, quando acontece a desconexão antes mesmo do pino do reserva ser liberado o velame principal atua como um grande pilotinho extraindo o reserva de dentro do container.

Esse sistema do MARD acelera a abertura do reserva em até 4x, fazendo com que o reserva seja aberto em apenas 0,5 segundos.

DIFERENÇAS ENTRE OS SISTEMAS

De forma rápida e simples, o RSL é um sistema que durante a desconexão do velame principal ele libera o pino do reserva garantindo sua abertura mesmo sem o paraquedista puxar o punho do reserva. Já o MARD é um sistema que durante a desconexão transforma o velame principal em uma espécie de grande pilotinho acelerando a abertura do reserva.

Um MARD é um tipo de RSL, ou mais especificamente, um suplemento a um RSL padrão que permite uma extração do reserva mais rápida. O RSL puxa seu pino de reserva depois que você libera seu velame principal e é provável que libere o pilotinho do reserva mais rapidamente do que você poderia fazer ao levar sua mão e puxar o punho do reserva (embora você ainda deva puxar seu punho!).

Veja no vídeo abaixo uma comparação entre a desconexão com RSL tradicional e com MARD:

Parecidos, mas diferentes

Ao usar um RSL tradicional, uma vez que o pino do reserva é retirado, o paraquedista não está mais conectado ao velame principal. Quando o principal se desconecta, o paraquedista volta à queda livre conforme o reserva é acionado. Isso difere de um sistema MARD, que mantém uma conexão entre o paraquedista e a desconexão do principal até que o reserva saia da freebag.

Uma vez que um MARD é uma parte integrada de um RSL, você o desativaria nas mesmas circunstâncias que faria com um RSL tradicional: Quando você não deseja uma abertura imediata do reserva após uma desconexão. É surpreendente como muitos paraquedistas não sabem que, ao desativar seu RSL, também estão desativando o MARD. Lembre-se: Se você desativar seu RSL, você desativou seu MARD e não irá acelerar sua abertura do reserva quando comandar direto pelo punho do reserva.

FUNCIONAMENTO EM DETALHES

Agora que já vimos de forma geral o RSL e o MARD e suas diferenças, vamos ver em detalhes o funcionamento de cada sistema.

Como funciona o RSL

Dados mostram que o RSL foi inventado no começo dos anos 60 para o paraquedismo militar, era uma forma de garantir mais segurança aos paraquedistas militares que em caso de pane não precisavam se preocupar em acionar o paraquedas reserva.

Com o passar dos anos o sistema foi implantado no paraquedismo civil e segundo as regras da CBPQ o RSL é obrigatório para paraquedistas categoria AI e para equipamentos de salto duplo.

Como já explicado o RSL é uma fita que fica conectada ao tirante do velame principal e uma das suas extremidades fica conectada ao pino do velame reserva, ao desconectar o velame principal a força do velame indo embora faz com que a fita do RSL se estique e force a liberação do pino do reserva liberando sua abertura antes mesmo do paraquedista puxar o punho do reserva.

Veja abaixo um vídeo mostrando na pratica o RSL em ação:

Perceba que ele tem o mesmo efeito que se o paraquedista tivesse puxado o punho do reserva, por esse motivo a abertura do reserva não é mais rápida, mas sim apenas garantida.

Como funciona o MARD

O primeiro sistema MARD foi criado por Bill Booth (mesmo criador do sistema três argola), patenteado pela UPT e nomeado de SkyHook.

Existem diferentes modelos de MARD, mas todo possuem a mesma função e formas parecidas de executarem tal função, a diferença fica no sistema de montagem de cada um.

Para um comandar o reserva de forma padrão sem a assistência de um MARD, o pilotinho do reserva que puxa a bolsa para fora container. Com um MARD, seu velame principal atua como o grande pilotinho, e um enorme “pilotinho” equivale a uma abertura mais rápida. Uma vez que você não está na velocidade terminal ao usar um MARD (porque você tem alguma parte do velame principal para fora), isso não causa uma abertura forte como faria se você estivesse usando um enorme pilotinho em um velame principal, mas ajuda seu velame reserva a esticar as linhas significativamente mais rápido do que se o pilotinho reserva estivesse fazendo o trabalho por conta própria.

Sistema MARD em ação

Mais velocidade na abertura

A UPT, fabricante do SkyHook, afirma que seu MARD deve abrir o velame reserva em 0,5 segundos, sendo de quatro a cinco vezes mais rápido do que a abertura normal. No geral, você pode esperar que um MARD economize cerca de 50-100 pés de altitude em relação a um RSL tradicional, dependendo de uma série de variáveis, como a velocidade da pane, tamanho do velame principal, modelo do velame reserva, densidade do ar e outros fatores .

Não entenda que isso significa que você deve diminuir sua altitude de decisão. A altitude de comando e a altitude de decisão devem permanecer as mesmas, e você deve sempre puxar os dois punhos. Se você estiver abaixo de 1.000 pés, você ainda deve ir direto para o punho do reserva e colocar mais pano sobre sua cabeça.

MARD: Projetado para desativar

Quando seu MARD desativa, na maioria dos casos não é porque um rigger o montou incorretamente.

Todos os fabricantes de harness e containers projetaram seus MARDs para se desativarem ou serem ignorados pelo pilotinho do reserva, o que permite que o paraquedista puxe o punho do reserva direto durante uma pane total (com o velame principal dentro do container) sem que o MARD conectado na bridle do reserva atrapalhe sua abertura ou quando o pilotinho do reserva fica mais alto que o velame principal durante o processo de abertura.

A força necessária para quebrar a conexão varia de acordo com o modelo, portanto, verifique com o fabricante para entender completamente o equipamento que você está usando. O MARD não é de uso obrigatório em nenhuma categoria do paraquedismo.

O MARD por outro nome

Os paraquedistas costumam usar o nome SkyHook genericamente para se referir a um MARD. Mas, assim como Bombril é o nome de uma marca de palhas de aço, SkyHook é o nome de uma marca de MARD. SkyHook é o sistema MARD original, mas desde seu lançamento, muitos fabricantes desenvolveram seus próprios MARDs exclusivos, e comercializam sob seus próprios nomes. Alguns deles são:

  • Ace – Peregrine Manufacturing (Glide)
  • Air Anchor – Strong Enterprises
  • Boost – Sunrise Manufacturing (Wings)
  • Mojo – Rigging Innovations (Curv)
  • SkyHook – Aerodyne Research (Icon), Sun Path Products (Javelin), United Parachute Technologies (Vector)
  • Trap – Mirage Systems
  • Infinity – Velocity Sports Equipment (VSE)

Uma curiosidade que apenas o SkyHook possui uma funcionalidade extra chamada de Collins, uma parte da fita do RSL fica conectada ao cabo desconector dos tirantes do velame principal, com esse sistema ao desconectar o velame principal o RSL irá puxar os cabos desconector garantindo que ambos os tirantes sejam liberados e não fiquem presos ao equipamento.

Vídeo super recomendado da brasileira Patricia Porto mostrando em detalhes o RSL e o MARD:

PRÓS E CONTRAS

Agora que já vimos como cada sistema funciona e suas diferenças vamos ver as vantagens e desvantagens de cada um.

RSL – Vantagens e Desvantagens

Vantagens: a principal vantagem do RSL é permitir que o velame reserva seja liberado em casos em que o paraquedista não consegue alcançar o punho, por exemplo, um aluno que desconecta seu velame e por falta de experiência não consegue puxar o punho do reserva estará salvo pelo RSL ou um instrutor tandem que ao desconectar é atrapalhado pelo passageiro e não consegue alcançar o punho do reserva, ambos serão salvos pelo RSL.

Outra vantagem do RSL é que ele ira liberar o seu reserva quase que de forma imediata a desconexão, o ato do paraquedista levar sua mão até o punho do reserva pode levar alguns milésimos ou até mesmo segundos e esse tempo no paraquedismo pode ser determinante.

Desvantagens: o RSL possui suas desvantagens, a principal é que ele exerce sua função, ou seja, libera o reserva logo após a desconexão e isso pode ser um problema em certas situações, como um pouso com vento forte onde o paraquedista esta sendo arrastado e precisa desconectar, ou um pouso em agua onde se deve desconectar o velame principal, claro que o RSL pode ser desativado, mas devido a situação o paraquedista pode acabar esquecendo.

Outra desvantagem do RSL é que se você estiver capotando durante uma pane e desconectar dificilmente terá tempo de se estabilizar para comandar o reserva o que pode ocasionar uma abertura com giros.

Outra possível situação é onde a fita do RSL se enrola com o velame principal durante a desconexão, esse problema já aconteceu algumas vezes, mas em todas foi averiguado que o paraquedista puxou o punho do reserva antes do principal ter sido totalmente desconectado, caracterizando um erro no procedimento de emergência e não no RSL.

REserve Static Line desmontado

MARD – Vantagens e Desvantagens

Vantagens: a principal vantagem do sistema MARD é uma abertura do reserva em maior altitude após a desconexão. Mais altitude significa mais tempo para o paraquedista realizar um pouso seguro, o que é especialmente importante porque a maioria das panes causa uma perda significativa de altitude.

Outra vantagem essencial do MARD é permitir que a abertura do reserva seja muito mais rápida, isso permite que o paraquedista perca menos altitude e tenha mais tempo para tomar suas decisões, novamente quanto mais altitude após uma pane melhor.

Desvantagens: o MARD também em suas desvantagens uma delas é que uma vez que o MARD depende de uma desconexão, ele não oferece vantagens em situações em que o paraquedas reserva é acionado sem liberar o principal.

Se com o RSL o paraquedista não tem tempo suficiente para se estabilizar antes de comandar o reserva, com o MARD esta possibilidade é menor ainda, portanto com desconectar enquanto gira ou capota poderá resultar em uma abertura do reserva em giros.

Também é possível, embora extremamente improvável, que o MARD se desconecte prematuramente.

Sistema MARD Trap

USAR OU NÃO USAR?

O assunto RSL e MARD talvez seja o que mais causa discussão entre os paraquedistas, afinal, usar ou não usar? E a resposta é bem simples, depende.

Na questão do RSL não existe nenhuma condição em que o seu uso não seja recomendado, o sistema já se mostrou seguro em diversas situações e passou a ser recomendado para todos os atletas.

Assim como com um RSL tradicional, existem muito poucas circunstâncias em que não é seguro usar um MARD. Os paraquedistas de TRV geralmente desconectam seus RSL/MARD para evitar que seus reservas disparem quando estão próximos a outros paraquedistas. Pelo mesmo motivo, paraquedistas que estão voando velames de alta performance em grupo podem optar por desconectar seus RSL/MARD. Para a maioria dos outros paraquedistas, relatórios de anos de acidentes apoiam o uso de um RSL ou MARD em quase todas as situações.

O grande debate

Alguns paraquedistas argumentam que os pilotos de velame de alta performance não devem usar RSL ou MARD porque a abertura imediata do reserva após a desconexão de um velame em giros violentos pode resultar em giros no reserva. No entanto, relatórios mostram que o uso de um RSL/MARD teria evitado muitos acidentes fatais nos quais o paraquedista desconectou, mas não acionou o reserva a tempo. Em alguns desses casos, o paraquedista pode ter ficado desorientado ou incapaz de comandar o reserva devido a um giro violento.

Velame de alta performance

Por outro lado, quando paraquedistas que se desconectaram do velame principal em giros rápidos equipados com MARD, eles geralmente têm abertura do reserva limpa ou com twist fácil de se desfazer. O sistema SkyHook já causou uma complicação capturada em vídeo, onde um velame principal com giros fez com que um SkyHook torcesse severamente o velame reserva.

Um RSL padrão ou o punho do reserva teria levado mais tempo para abrir – mas o pilotinho do reserva teria puxado a freebag do reserva para cima, em vez de torcê-la. Devido a este caso o uso de MARD com velames de alto desempenho continua sendo uma ativa discussão.

No entanto, você deve estar ciente de que houve apenas um caso de morte ocorrida, onde o MARD impediu a abertura do reserva quando o paraquedista puxou o punho do reserva enquanto ainda estava preso ao velame principal. Neste caso, o pilotinho do reserva foi lançado, mas não teve arrasto suficiente para se desconectar do MARD e puxar o velame para fora do container.

Os dados mostram que o RSL e o MARD já salvaram mais vidas do que trouxe complicações. Novamente, o uso de um MARD pode fornecer altitude extra durante uma pane, mas você não deve confiar 100% nele.

CONCLUSÃO

Entender os fundamentos do que é um RSL e um MARD e como eles funcionam aumentará seu conhecimento sobre o equipamento e, consequentemente, sua segurança no paraquedismo. Eles podem salvá-lo em uma emergência, embora você nunca deva confiar integralmente nestes sistemas ou qualquer outro sistema de segurança. Peça ao fabricante de seu container detalhes sobre o seu sistema de RSL e MARD específico e como ele funciona, conhecer seu equipamento é fundamental.

E sobre o uso, isso é uma questão totalmente pessoal, avalie os saltos que você prática, a sua navegação e o seu pouso, pense em todas as possibilidades de pane e como se sairia se estivesse usando RSL/MARD e como se sairia se não estivesse usando, isto poderá te ajudar a tomar a decisão final.

E lembre-se, em caso de dúvidas procure sempre um instrutor ou um rigger qualificado para te ajudar. Blue Skies!


REFERÊNCIAS:

Gostou do artigo? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Deixe o seu comentário!

Se inscrever
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

SOBRE O AUTOR

Diego Rodrigues

Fundador e administrador da SkyPoint Paraquedismo

REDES SOCIAIS

CATEGORIAS

ARTIGOS RECENTES

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site.