Componentes do Paraquedas

Hoje vamos falar sobre os componentes do paraquedas, o paraquedismo √© uma daquelas coisas que voc√™ provavelmente v√™ o tempo todo. Quase todo produto importante j√° fez um comercial com paraquedistas. Muitos filmes de a√ß√£o apresentam paraquedistas. O paraquedismo aparece em reality shows e √© o suporte dos militares, se quiser conhecer a hist√≥ria do paraquedismo no Brasil e no mundo, recomendo este artigo.

Neste artigo, iremos mostrar os principais componentes do paraquedas, que est√£o presentes na nossa “mochila m√°gica” que colocamos nas costas e partimos rumo ao c√©u.

CONTAINER

Vamos come√ßar pelo container, o nome diz respeito √† mochila que armazena todas os componentes do paraquedas. O containeir cont√©m duas se√ß√Ķes, uma segurando o paraquedas reserva e outra segurando o paraquedas principal. Na parte inferior do container h√° uma pequena bolsa (chamada de BOC, sigla para Bottom of Container) que mant√©m o pilotinho (vamos falar dele mais para frente) alojado.

Container do paraquedas

O container geralmente √© feito de nylon cordura, entretanto, contudo, outros materiais est√£o dispon√≠veis, por exemplo, o nylon bal√≠stico. As propriedades do material variam conforme o fabricante. Geralmente, o nylon cordura √© mais resistente √† abras√£o, enquanto o nylon bal√≠stico √© mais resistente ao rasgo. Em qualquer caso, um container bem conservado durar√° cerca de 1000 saltos.

Material do container

O peso total da mochila com todos os itens pode variar entre 7 e 14 quilos, dependendo do tipo de salto e do nível de experiência do paraquedista.

PARTE FRONTRAL

Sistema 3 Argolas – S√£o tr√™s argolas de tamanhos diferentes, a maior fica fixada no equipamento e as outras menores ficam fixadas aos tirantes do paraquedas principal, uma argola passa por dentro da outra dividindo as for√ßas existentes. A argola menor tem em sua parte superior uma linha (loop) que transp√Ķe o tirante e fica presa por um cabo flex√≠vel. A fun√ß√£o do sistema 3 argolas √© garantir que em caso de pane o paraquedista consiga desconectar rapidamente seu paraquedas principal.

Sistema 3 argolas

RSL (Reserve Static Line) – Uma fita conectada uma de suas pontas ao tirante do paraquedas principal, e a outra ponta ao pino de abertura do paraquedas reserva. Sua fun√£o √© que ao se efetuar a desconex√£o do paraquedas principal o RSL garante a abertura do reserva. √Č bom citar que o RSL n√£o acelera a abertura do reserva, apenas garante a sua libera√ß√£o.

Reserve Static Line - RSL

Tirante de Peito РUma alça que fica localizada na altura do peito e deve ser ajustada para ficar firme e grudada no tronco do paraquedista.

Tirante de peito

Punho do Desconector РEste punho fica localizado no lado direito na altura da costela, ao puxa-lo é realizado a desconexão do paraquedas principal. O punho tem dois cabos ligados que passam por dentro de canduites, esses cabos são extraídos e liberam o sistema 3 argolas de ambos os lados.

Punho para desconectar o paraquedas principal

Punho do Acionamento do Reserva РEste punho fica localizado no lado esquerdo na altura da costela, ao puxa-lo é liberado o paraquedas reserva. O punho do reserva possuí um cabo de aço que passa por dentro do canduite e está ligado no pino de liebração do paraquedas reserva.

Punho para acionar o paraquedas reserva

Tirante de Perna РDuas alças que ficam na parte de baixo do container e deve ser ajustada para ficar firme e grudada nas pernas do paraquedista para mante-lo preso ao equipamento.

Tirante de perna

PARTE TRASEIRA

DAA (Disposito de Abertura Autom√°tica) – Um dispositivo eletr√īnico de ativa√ß√£o autom√°tica, este equipamento √© responsavel por realizar a abertura autom√°tica do paraquedas reserva em certa altitude caso o paraquedista n√£o acione o paraquedas principal.

Dispositivo de Abertura Autom√°tica - DAA

Abras de Prote√ß√£o – Como o nome diz, s√£o duas abas de prote√ß√£o, servem para proteger os pinos de libera√ß√£o dos paraquedas, tanto do principal como do reserva. 

Abas de proteção dos pinos

Pinos de Libera√ß√£o – Estes pinos ficam abaixo das abas de prote√ß√£o e mant√©m os velames dentro do container. Os pinos passam por dentro de um peda√ßo de “corda” chamada de loop, ao comando o paraquedas (principal ou reserva) o pino sai de dentro do loop e come√ßa a libera√ß√£o do velame.

Pino de liberação do velame principal

Punho do Pilotinho РO paraquedista usa este punho para acionar o paraquedas principal, o pilotinho fica alojado na BOC, entratanto o punho fica exposto do lado de fora, o paraquedista pega o punho e joga para o lado em queda livre para começar a liberar o paraquedas principal.

Pilotinho para acionar o velame principal

PARAQUEDAS

Pilotinho – O termo no diminutivo se faz pela sua apar√™ncia de “mini paraquedas” responsav√©l por acionar o velame (principal e reserva). Ele √© lan√ßado no vento fica voando atr√°s do paraquedas maior. Ao ser solto no vento, esse equipamento √© inflado pelo ar e arrasta o velame para fora da mochila.


Bridle РUma tira de nylon com 2 a 3 metros de comprimento, uma de sua pontas fica conectada ao pilotinho e a outra na parte superior central do velame, o pino de liberação também fica presa a bridle. Sua função é fazer a ligação entre o pilotinho e o velame dentro da bolsa, permitindo que o velame seja extraído.


Bolsa – √Č aqui dentro onde o velame fica guardado quando est√° dobrado, esta bolsa vai dentro do conteiner e uma parte das linhas tamb√©m ficam presas a bolsa.

Bolsa, bridle e pilotinho send extraídos

Velame – Popularmente chamado de paraquedas, ele que permite diminuir a velocidade do paraquedista na atmosfera atrav√©s do arrasto que √© criado. Normalmente um velame √© feito de tecido leve e forte de nylon, originalmente de seda. Existem velames de diferentes formatos e tamanhos.


Bordos de ataque e fuga РBordo de ataque é a parte da frente do velame, por onde entra o vento. Bordo de fuga é a parte de trás do velame, por onde sai o vento.


C√©lulas – O velame, por sua vez, √© formado pelas c√©lulas de n√°ilon, que inflam para lhe dar o formato de uma asa, uma c√©lula √© formada por duas entradas de ar. 

Estabilizador РAs tiras verticais de tecido presas às células finais do velame aumentam sua capacidade de voar em linha reta.


Linhas РGrupo de linhas que geram sustenção ao velame, ficam conectadas no velame e nos tirantes do equipamento. Também possuem as linhas de freio, responsavéis por permitir a digiribilidade do velame.


Slider РUm pedaço retangular de tecido de náilon com um ilhó em cada ponta, cada grupo de linhas passa através de um dos ilhós. A sua função é regular a velocidade de abertura impedindo que o grupo de linhas se enrolem.


Tirantes РSão 4 tiras que conectam o container às linhas de suspensão. Sendo dois tirantes traseiros e dois tirantes dianteiros. Paraquedistas experientes conseguem utilizar os tirantes para manobrar o velame.

Paraquedas completo e seus componentes

Links – Tem duas varia√ß√Ķes, sendo soft link (esquerda) e hard link (direita), s√£o pequenos e resistentes componentes que conectam os tirantes as linhas de suspens√£o.

Hard e soft link que prendem os tirantes as linhas do paraquedas

Batoques РAlças fixadas nos tirantes traseiros que servem para pilotar o velame. O velame vira para a direita quando o batoque da direita é puxado, e vira para a esquerda quando o batoque da esquerda é puxado. Puxando os dois batoque se realiza o flare, utilizado para freiar o velame.

Batoques para navegar e freiar o paraquedas

CONCLUSÃO

Estes são os principais componentes do paraquedas, dependendo do modelo, objetivo do salto e experiência do paraquedista podem ocorrer pequenos detalhes de diferença.
Lembre sempre de checar e revisar todas os componentes do paraquedas regurlarmente e tenha bons saltos!


REFERÊNCIAS:

Gostou do artigo? Compartilhe!

Deixe o seu coment√°rio!

Se inscrever
Notificação de
guest
3 Coment√°rios
Mais antigos
Mais recentes Mais curtidos
Inline Feedbacks
Ver todos os coment√°rios

[…] harness √© mais do que uma forma de prender o paraquedista ao paraquedas. √Č tamb√©m uma forma de manipular […]

[…] um velame Zero-P dentro da bolsa, especialmente quando √© novo. Um pilotinho de tamanho correto, slider posicionado corretamente e linhas adequadas s√£o necess√°rias para reduzir as chances de uma […]

[…] outro aspecto, antes n√£o considerado, √© a rela√ß√£o do volume interno do velame com seu extra-dorso. Essencialmente, o volume de ar que se desloca pela cauda do velame pode ser considerado um aspecto […]

SOBRE O AUTOR

Diego Rodrigues

Fundador e administrador da SkyPoint Paraquedismo

REDES SOCIAIS

CATEGORIAS

ARTIGOS RECENTES

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site.