Turbulência e paraquedismo: o que você não vê pode te matar

A água nos fascina. De que outra forma você explica a sensação de relaxar à beira-mar, à beira do lago e à beira do rio?

Como paraquedistas, a água deve nos fascinar por outra razão muito importante – ela se move e responde à física como o ar, só nós podemos realmente ver e, assim, aprender com ela. Como tal, a água tem muito a nos ensinar sobre fluxo de ar e, mais importante, turbulência.

Nas notícias recentes, encontramos um exemplo público dos efeitos da turbulência no paraquedismo de um militar australiano que sofreu ferimentos graves após o velame colapsar induzido pela turbulência enquanto fazia um salto de demonstração em um estádio.

A turbulência do ar é algo que a maioria de nós entende conceitualmente, mas não tanto na prática. Por quê? Não podemos vê-la. E se estamos no chão, geralmente nem nos afeta tanto, a menos que os ventos sejam extremos, então não pensamos muito nisso.

Mas quando você está voando de paraquedas, a turbulência pode afetar radicalmente o voo do seu velame e mudar sua vida muito rapidamente. Um pouco de turbulência pode parecer como dirigir em uma estrada esburacada, mas uma turbulência severa pode colapsar parcial ou completamente seu velame. O velame colapsado pode causar curvas radicais e até mesmo colocá-lo de volta em queda livre a uma altitude onde você absolutamente nunca quer estar em queda livre!

CALMA, NÃO SE ASSUSTE

A boa notícia é que o fluxo de ar turbulento segue as leis da física, assim como um rio que flui ao redor das rochas. (Observe isso de perto da próxima vez que tiver uma oportunidade).

Assim, geralmente temos uma boa ideia de onde ele aparecerá quando os ventos aumentarem. O fluxo de ar turbulento existe a favor do vento de obstáculos, estendendo-se para 10-20 vezes a altura do obstáculo horizontalmente!

Também existe atrás de objetos em movimento, e muito mais atrás de aviões com hélices girando, mesmo que estejam estacionados. Os ventos também podem afetar a localização da turbulência gerada pelas aeronaves.

NA PRÁTICA

Olhe a imagem abaixo, a turbulência ocorre na descida da hélice da aeronave, construções, árvores e outros obstáculos a 10-20 vezes a altura deste obstáculo.

exemplo de turbulência no paraquedismo

Vamos colocar isso em prática. Por exemplo, com nosso hangar de 34 pés de altura no Skydive Spaceland Houston em um vento norte, a turbulência pode ser esperada a distâncias de até 340-680 pés ao sul.

Medindo diretamente ao sul do meio da borda do hangar, a pista fica a cerca de 450 pés de distância. Assim, toda a área entre o hangar e a pista seria considerada uma zona de pouso perigosa com vento norte. É por isso que você geralmente vê até mesmo paraquedistas altamente experientes pousando a leste do hangar com ventos de norte; é apenas mais seguro.

paraquedismo sem turbulência

Dê outra olhada no gráfico de turbulência acima com o avião. Observe a turbulência atrás do avião? Esta é essencialmente a mesma situação que temos na Spaceland Houston se uma aeronave estiver ligada e esperando o próximo grupo embarcar a oeste do hangar, voltada para o norte.

A turbulência desta aeronave, especialmente, mas não apenas com vento oeste, afetará a borda oeste da área de pouso, tornando-a um local muito bom para evitar, não importa quantos saltos você tenha ou que tipo de velame que você está voando. As leis da física não se importam para os paraquedistas, não importa quantos saltos eles tenham!

Uma boa regra é nunca pousar em qualquer lugar atrás de um avião em movimento ou perto e enfrentando um obstáculo.

POUSO EM LOCAIS LIMPOS

Uma boa regra é nunca pousar em qualquer lugar onde tenha um avião próximo ou perto de um obstáculo. Apenas a favor do vento em locais livres, qualquer vento significativo criará turbulência exatamente onde você menos deseja – perto do chão, onde você tem muito pouco tempo e altitude para se recuperar de um colapso do velame.

A turbulência é um fator potencial em qualquer salto, esteja você pousando dentro ou fora da área. Antes de saltar de paraquedas, considere as prováveis ​​áreas de turbulência nas condições atuais e planeje evitar essas áreas. Se você precisar de um pouco de ajuda, converse com um instrutor experiente ou com o RTA da área.

EXEMPLOS REAIS

Agora, para as coisas realmente legais: aqui está um vídeo para ajudá-lo a visualizar a turbulência do ar usando fumaça, montado por nossos incríveis membros da equipe Ken Stone, Rosy Booker, Ben Nelson e Nick Lott.

Enquanto assiste a este vídeo, observe a mudança extrema na direção e na velocidade do vento quando a lata de fumaça é colocada a favor do vento de obstáculos. Agora imagine o que seu velame fará ao voar pelas mesmas condições de vento altamente variáveis.

Você realmente quer voar nessas condições? Eu absolutamente não! Agora, aqui está um vídeo do que pode acontecer com um velame que entra em conflito com a turbulência. É um tandem, por isso é uma asa mais leve e de menor desempenho do que muitos paraquedistas voam. O resultado é bastante desagradável, e poderia ter sido ainda mais violento com um velame de maior desempenho.

TURBULÊNCIAS E REDEMOINHOS

Para mais informações sobre turbulência no paraquedismo e para saber mais sobre outro assunto semelhante como os redemoinhos de poeira (que de certa forma são apenas turbulências visíveis), veja este artigo onde falamos mais sobre estes fenômenos.

Observe que uma das grandes diferenças entre um “redemoinho de poeira” e a “turbulência” é que você pode ver um redemoinho chegando porque ele acumulou poeira. Em áreas gramadas, a turbulência é invisível, a menos que pegue algo que você possa ver sendo arremessado. É por isso que entender onde a turbulência se desenvolve e evitar essas áreas é sua melhor defesa quando for praticar paraquedismo.

CONCLUSÃO

O paraquedismo é um esporte incrível, mas devemos ficar atento a tudo que pode vir prejudicar o nosso salto, principalmente quando o “inimigo” é invisível, como a turbulência. Recomendados analisar ou conversar com um instrutor sobre as áreas de turbulência da área que você salta.

E quando for para uma área nova lembre de fazer a mesma pergunta ou análise para evitar surpresas ruins. Voe com inteligência e segurança! Blue skies!


REFERÊNCIAS:

Gostou do artigo? Compartilhe!

Deixe o seu comentário!

Se inscrever
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

SOBRE O AUTOR

Diego Rodrigues

Fundador e administrador da SkyPoint Paraquedismo

REDES SOCIAIS

CATEGORIAS

ARTIGOS RECENTES

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site.